Blog da Coroa

O outro lado do Cara!

Le Figaro: Lula modernizou o Brasil

Do site da BBC: Lula foi o presidente que modernizou o Brasil, diz jornal francês

Uma reportagem na edição desta terça-feira do jornal francês Le Figaro afirma que Luiz Inácio Lula da Silva foi o presidente responsável por “modernizar o Brasil”.

O texto, que recebeu uma chamada na capa do Le Figaro, é assinado pela correspondente do jornal no Rio de Janeiro, Lamia Oualalou.

A reportagem conta a história de Ricardo Mendonça, paraibano de Itatuba que se mudou para o Rio de Janeiro em busca de emprego em 2003 e conseguiu entrar na universidade graças a uma bolsa do programa Pro-Uni, do governo federal.

O jornal atribui o sucesso de Mendonça às políticas do governo Lula.

Histórias como esta de Ricardo o Brasil registra aos milhões. A três meses do fim do seu segundo mandato, este é um país mudado que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixará ao seu sucessor”, escreve o Le Figaro.

‘Barbudo onipresente’

O jornal diz que quando Lula chegou ao poder, em 2003, o Brasil era um país sem “grandes esperanças” que havia finalmente dado uma chance a um “turbulento barbudo onipresente na cena eleitoral desde o restabelecimento da democracia”.

O Le Figaro destaca que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso conseguiu combater a hiperinflação com o Plano Real, mas que se tornou “muito impopular” antes de deixar o poder em 2002.

Citando analistas políticos brasileiros, o jornal diz que Lula foi responsável por ampliar políticas sociais do governo anterior.

“O chefe de Estado reagrupou algumas medidas sociais do seu antecessor e lhes deu uma dimensão inimaginável”, diz a reportagem do jornal.

Pela primeira vez na história, o Brasil assiste a uma redução contínua e inédita das desigualdades. Em dois mandatos, 24 milhões de brasileiros saíram da miséria e 31 milhões entraram para a classe média.”

O jornal diz que o governo quer agora usar a riqueza dos novos campos de petróleo descobertos no litoral brasileiro para criar um fundo que beneficie os mais pobres.

O Le Figaro destaca que apesar dos avanços, o Brasil ainda é um dos mais desiguais da América Latina e do mundo, com altos índices de analfabetismo e problemas crônicos de saúde pública.

O jornal alerta também que as autoridades e parte dos analistas no Brasil não estão imunes à “complacência”.

Anúncios

setembro 22, 2010 Posted by | Internacional | , , , , , | 8 Comentários

Brasil pode mais: país é uma das maiores fontes de ajuda a países pobres

Zilda Arns e Lula pensam nos pobres (Foto do site da CNBB)

Do Portal Terra: ‘Economist’: Brasil é grande fonte de ajuda a países pobres

Uma reportagem publicada nesta quinta-feira na edição online da revista britânica The Economist destaca as ações do governo brasileiro na ajuda a países pobres e diz que “sem atrair muita atenção”, o País se torna “rapidamente” uma das maiores fontes de ajuda a países pobres.

A publicação cita uma iniciativa baseada no programa Bolsa Família e colocada em prática no Haiti, depois do terremoto que deixou milhares de mortos no início do ano. Com financiamento do Brasil, uma cooperativa incentiva mães a levarem seus filhos à escola em troca de refeições. Outro projeto, em Mali, criou um campo experimental de algodão, com recursos da Embrapa. Já em Angola, a Odebrecht constroi parte do sistema de abastecimento e já é uma das maiores empreiteiras na África.

De acordo com a revista, esse “esforço de ajuda” tem grandes implicações. A assistência à África ajuda o Brasil a competir com China e Índia pela influência no mundo em desenvolvimento e apoia o governo brasileiro no objetivo de conquistar um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.

Além disso, aponta a reportagem, “a ajuda faz sentido comercial”. “O Brasil é o mais eficiente produtor mundial de etanol, e quer criar um mercado global de combustível verde. Mas não pode fazer isso se foi o único real fornecedor do mundo. Disseminar a tecnologia do etanol para os países pobres cria novos fornecedores, aumenta as chances de um mercado global e gera negócios para empresas brasileiras”, disse a revista.

Recursos
A revista destaca ainda que o orçamento da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), que presta assistência técnica, é de apenas R$ 52 milhões. Mas estudos do Instituto de Desenvolvimento Internacional do Reino Unido e do Centro de Pesquisa em Desenvolvimento Internacional do Canadá apontam que outras instituições brasileiras gastam 15 vezes mais do que o orçamento da ABC em seus próprios programas de assistência.

A contribuição anual do Brasil à Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) é de R$ 35 milhões a R$ 44 milhões, mas as mercadorias e serviços que oferece, acredita a chefia do PNUD no Brasil, é de mais de R$ 170 milhões.

Somando-se outras ajudas, o montante doado pelo País chega a quase R$ 7 bilhões por ano. “Isso é menos do que a China, mas semelhante a ‘doadores generosos’ como a Suécia e Canadá, e, ao contrário deles, as contribuições do Brasil estão subindo”, aponta a revista.

Problemas internos
A reportagem cita o fato de que o País ainda recebe ajuda internacional e isso pode atrapalhar na distinção atual entre doadores e receptores, contrariando o tradicional sistema de auxílio “de cima para baixo”.

A publicação aponta, no entanto, que muito precisa mudar antes de o Brasil ocupar o lugar que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva aspira no cenário mundial. “O País ainda tem grandes bolsões de pobreza do terceiro mundo, e o envio de dinheiro para o exterior pode ser controverso”, diz a revista.

Para ler a reportagem em inglês, clique aqui.

julho 16, 2010 Posted by | Política Externa | , , , | Deixe um comentário

Por que Lula é O Cara?

Aqui vai mais um motivo:

junho 2, 2010 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

EUA: dois pesos, duas medidas

Do blog do Josias de Souza:
Do blog do Josias

Do blog do Josias

junho 2, 2010 Posted by | Internacional | | Deixe um comentário

Oliver Stone: Lula para Nobel da paz

Saiu no Portal R7 da Record: Oliver Stone diz que Lula pode ser Nobel da Paz

O cineasta americano Oliver Stone, conhecido por dirigir filmes como Nascido em 4 de julho e JFK, esteve na noite desta segunda-feira (31) em São Paulo, para divulgar sua nova produção, Ao Sul da Fronteira, sobre a ascensão da esquerda latino-americana. Ao R7, ele se disse um admirador do presidente Luiz Inácio Lula Silva e afirmou que o líder brasileiro pode ganhar o prêmio Nobel da Paz por ter costurado um acordo nuclear com o Irã.

– O Lula tem uma grande liderança. Caso ele consiga êxito no resultado do acordo, certamente será indicado ao prêmio Nobel da Paz.

O cineasta se referia ao acordo sobre troca de urânio enriquecido, que Brasil e Turquia conseguiram acertar com governo de Mahmoud Ahmadinejad. As potências ocidentais, lideradas pelos Estados Unidos, tentam impor sanções ao Irã, por desconfiar dos objetivos de seu programa nuclear.

Stone conversou com o público que assistiu a exibição de seu documentário na FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado). Estavam na plateia, entre outros, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o cineasta Luiz Carlos Barreto.

O cineasta disse que “o acordo está desafiando toda a dinâmica de poder [internacional].” Disse ainda que o fato de o Brasil contrariar a política dos EUA é um exemplo das profundas transformações que os governos de esquerda trouxeram à região.

– Existem consequências para o mundo inteiro pelo fato do continente estar se tornando mais independente.

Em Ao Sul da Fronteira, Stone entrevista Lula, assim como o presidente Hugo Chávez, da Venezuela, Evo Morales, da Bolívia, Cristina Kirchner, da Argentina, Fernando Lugo, do Paraguai, e Rafael Correa, do Equador.

junho 1, 2010 Posted by | Política | , , , | 1 Comentário

Lula e o Nobel da paz

Irã, Turquia e Brasil chegam a acordo, diz chanceler turco

Vai ser difícil de engolir, mas o Lula destravou um dos maiores problemas diplomáticos do mundo atual.

Que orgulho!

Vamos esperar agora a rodada de minimizações feitas pelo PIG. Vão falar que é uma vitória da Turquia, e não do Brasil, que o Lula fez um acordo de joelhos, que cedeu muito ou que implorou algumas cessões.

maio 16, 2010 Posted by | Sem categoria | , , , , | Deixe um comentário

Novo viés tendencioso da imprensa

Caí no “erro” de clicar no link do Correio Braziliense que o Jovem utilizou no seu último post.
A notícia começa assim:
“O Brasil poderá deixar a lanterninha do crescimento econômico entre os países emergentes no fim deste ano…”

Vamos por partes.

Clique nesse link: PIB per capita do Mundo, Brasil, China e Índia

Bom, vejamos os valores de 2002 (valor que o Lula pegou) a 2008 (fim dos dados do link)

Os valores são os seguintes :

Ficou bem claro quem cresceu mais? Pois é, foi o Brasil mesmo!
A China, tadinha, até que chegou perto. Como consolação para ela, quando incluírem os dados de 2009 ela nos passa, mas em 2010 retomaremos a liderança.
Isso a imprensa não mostra. Mostram os valores absolutos, o que é errado, pois um país que teve crescimento elevado da população ativa tem mais gente produzindo PIB. É simples. Por isso o valor mais correto é o do PIB per capita.
Piadinha de fecho: façam a mesma coisa com os anos de 1994 (valor que o FHC pegou) e 2002 (valor que o FHC entregou). Hilário!

abril 24, 2010 Posted by | Sem categoria | , , , , , , , , , | 2 Comentários

Já disse hoje que adoro comparativos?

Reproduzo aqui mais um comparativo entre Lula e FHC, passando por um pequeno trecho esclarecedor do excelente vídeo Zeitgeist:

Lembrem-se sempre: José Serra = FHC

abril 18, 2010 Posted by | Vídeos | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário