Blog da Coroa

O outro lado do Cara!

Uma aula de história e bons modos a Dunga

Reproduzo, na íntegra, excelente post do impagável blog do Professor Hariovaldo, o defensor dos homens bons contra os moreninhos revolucionários setentrionais e de banânia. Vale a pena ler, é diversão garantida! Vale a pena ler os comentário também!

Veja bem com quem está falando, retranqueiro!

Mais um agente vermelho para importunar os homens de bem

Mais um agente vermelho para importunar os homens de bem

Aos homens bons caberá a glória da conquista do áureo troféu de football, disputado naquele país que já conheceu melhores dias, quando os moreninhos conheciam seu lugar e não disputavam melhores posições na alva sociedade afrikkaner. Temos tudo a nosso favor: jogadores estelares, mundialmente conhecidos, grandes patrocinadores, muito dinheiro envolvido (pois banquete grátis só existe na mente de usurpadores atrozes) e a Platinada.

A rede de Dr. Roberto sempre se pautou pela sua retidão moral e caráter inatacável, por sua isenção, competência técnica e profissional. Dr. Roberto, um democrata de quatro costados, não se intimidou pelo avanço irresistível das brigadas jangomarxistas e, empenhando a própria vida, empregou todos os recursos disponíveis aqui e no exterior, a fim de não permitir que a Revolução aqui fincasse suas garras. Torpes labéus granjeados por Jango, Brizola, Arraes, Paulo Freire, Darcy Ribeiro, Anísio Teixeira e demais quadros da Internacional Comunista faziam da guerrilha sua profissão de fé, apavorando os homens bons da sociedade, aterrorizando os empresários e investidores.

Tal quadro dantesco, a ditadura marxista que se avizinhava, Cuba lançando desafiadores recados ao Grande Pai do Norte, as perspectivas eram desesperadoras. Diante disso, restou a nossa brava, intrépida e isenta imprensa tomar para si a tarefa de liderar a Resistência democrática, até que os bem-vindos e imparciais reforços Yankees aqui desembarcassem, fosse em espírito, fosse em espécie.

Dr. Roberto, em vibrantes editoriais e manchetes conclamava o povo pegar em armas e resistir ao avanço dos vietcongues brazucas. A indômita classe-média acorreu ao chamado prontamente. E o resto é história. E a história nos diz que tudo que é informação passa pelo filtro da maior empresa de Comunicações do Ocidente, por seus photoshops e correções estilísticas e linguísticas, praticadas pessoalmente pelo pupilo Grão-Mestre Ali Kammel, um grande e reconhecido intelectual, cujo livro-bomba “Não somos apenas racistas” destruiu uma das facetas do movimento guerrilheiro bolchevista internacional, o movimento moreninho, que com suas cotas e exigências prepara seguidos assaltos aos nossos diversos e já cristalizados estatutos sociais que vêm funcionando perfeitamente nos últimos 500 anos.

Em outro famoso episódio, aquele que coroou a carreira jornalística do colega Dr.Roberto, sua rede não incomodou a população com notícias fúteis, como aquela baderna ocorrida na Praça da Sé em 1984 que os bolchevistas, ironicamente, batizaram Diretas Já (segurem as risadas, sim?), como se existissem “eleições” ( “diretas” ainda por cima ) na falida URSS. A fama de democrata das comunicações que Dr. Roberto conseguiu em sua carreira vencedora atingiu os píncaros, quando sua emissora, brilhantemente, editou o show que nosso Apolo, o candidato Fernandinho I deu sobre o candidato vermelho do PT em 1989, o Menino Molusquinho do PT. Por quê a Platinum Plus editou o debate? Por uma razão simples: o nosso Apolo grego passou como um rolo compressor sobre o infeliz apedeuta, e o Doutor Roberto não queria apresentar o massacre, pois era contra as cenas de sangue, e achou que o adversário dos homens bons não precisava ter seu pescoço pisotado, pois vencido já estava, desnorteado, tonto e apalermado. Dr. Roberto deixou-nos um legado de humanismo e cristandade, e não será um mero e estafermo botinudo que irá colocar seu prestígio a perder.

Anúncios

junho 23, 2010 Posted by | Uncategorized | , , , , | 3 Comentários

Novo dicionário da imprensa brasileira

Reproduzo o post do ótimo “Tudo em cima”
Censura – Refere-se a toda e qualquer regulação que afete o sagrado direito da imprensa de difamar, mentir e agir como máfia.
Checagem de informação – Hábito dispendioso e supérfluo. Pode perfeitamente ser substituído pela publicação da seguinte nota: “Não foi possível confirmar a informação, tampouco desmenti-la”.
Diploma de Jornalista – Papel pintado e sem valor. Deveria ser vendido em papelarias.
Direito à informação – Direito assegurado ao público de receber as versões dos fatos tais como auferidas, editadas e formatadas pela imprensa de modo a moldá-las aos interesses desta.
Direito de Resposta – Extinto pelo venerando Gilmar Mendes após o fim da famigerada “Lei de Imprensa”, foi substituído pelo direito da mídia de continuar reiteradamente produzindo acusações, mesmo sem provas (ver verbete Presunção de Culpa).
Expert – Como a etimologia do termo sugere, jornalista que se destaca por ser especialista em sua área. Ou seja, especialista em justificar ou defender, em linguajar a um tempo acessível e pseudo-técnico (para simular conhecimentos superiores, inacessíveis aos demais mortais) políticas econômicas, administrativas e fiscais que interessem à corporação midiática para a qual trabalha.
Imparcialidade – Diz-se da capacidade de um órgão de imprensa (e, em decorrência, de seus jornalistas) de apoiar determinado candidato ou partido político sem assumir tal apoio.
Jornalista profissional – Serviçal mal remunerado, cuja função é repercutir os interesses da empresa em que trabalha. Servilismo, capacidade de bajulação, pouca bagagem cultural e ausência de espírito crítico são suas principais qualidades, ao lado da falta de caráter.
Liberdade de expressão – Diz-se do direito da imprensa de publicar o que quiser e como quiser, de acordo ou não com parâmetros éticos e deontológicos consagrados. Inclui o direito de omitir, reduzir a trecho(s) ou editar de forma manipulatória – inclusive para produzir sentido contrário ao que foi dito ou constatado – relato de atos, fatos, discursos e falas de terceiros.
Liberdade de imprensa – Segundo tese defendida publicamente pelo ministro do STF Carlos Ayres Britto, sumarizada em artigo de Eugênio Bucci, “A liberdade de imprensa deve ser entendida como um direito não limitado por outros direitos. Ela é um direito absoluto.” Estando acima da lei, a imprensa se considera, portanto, livre para publicar o que lhe der na telha, mesmo se mentiroso, difamante, criminoso ou racista. Não deve satisfações a ninguém.
Pesquisa eleitoral – Se feita por instituto correlato à empresa de comunicação, trata-se de evidência inquestionável do que acontecerá nas eleições. Se efetuado por terceiros, trata-se de uma simulação não confiável e tendenciosa, que deve ser posta sob suspeita e questionada judicialmente.
Presunção de Culpa – Inovação cívica trazida pela mídia ao anacrônico modelo jurídico do país. Ao invés de seguir o artigo 5º., inciso VLII da Constituição (“ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”), a imprensa, como Primeiro Poder que é, se dá ao direito de exigir que o acusado prove que não é culpado. Foi identificada pelo professor da UnB e crítico de mídia Venício A. de Lima.
Tendências – Quesito particularmente importante na área econômica e em pesquisas eleitorais, deve ser auferido através da consulta a fontes, porta-vozes do mercado e eleitores em potencial que tenham em comum o fato de vocalizarem as tendências que o órgão de imprensa quer ver divulgadas em prol de seu próprio interesse.
 
  Uai, ele não ia tentar o 3º mandato?

maio 10, 2010 Posted by | Sem categoria | , , , , | Deixe um comentário

Cansei

Esse tal de Lula me cansa. Basta eu acordar e começar a percorrer meus feeds que as notícias espetaculares começam a brotar. Ontem mesmo, enquanto perquisava para fazer o post sobre a indústria naval, deparei-me com dezenas de informações importantíssimas sobre o desenvolvimento do país. Tão importantes que não mereceram destaque em nenhum grande jornal, reafirmando a máxima de que o importante é o que a imprensa não mostra.
Mas esse percorrer notícias está sendo cansativo, pois fica difícil ordenar o que devo colocar no post e o que devo apenas linkar. Além disso, uma notícia chama outra, e acabo com mais de 10 abas abertas somente com fatos preciosos sobre o governo Lula. Só para fechar essas abas já dá um trabalho! Imagina ler tudo! E condensar? E conferir?
Conferir é o mais difícil. Como exemplo, sobre o pedido de navios do post da indústria naval, este link, em seu terceiro parágrafo informa que a Petrobras quer 306 navios. Já este link aqui, em seu último parágrafo, informa que o pedido atual é de 130 embarcações, e que só a Petrobras já pediu 70. Esses números parecem estar em conflito com o outro link, apesar de apenas 4 dias separarem as notícias. Mas, depois de uma análise mais detida, vê-se que os pedidos realmente são de 70, mas que já são necessários outros 236.
O problema é que ordenar e aprofundar em cada um desses links é trabalhoso, pois ainda tenho que escrever ao mesmo tempo. Para dar conta, utilizo 3 browsers ao mesmo tempo, cada um com mais de 5 abas abertas!
É por essas e outras que decidi aderir ao movimento Cansei:

Por isso, decidi que hoje só colocarei um assunto por post, e o assunto é o aumento da venda de máquinas no primeiro trimestre de 2010.
Apenas uma nota de rodapé:  gostaria de falar sobre o blog de onde pesquei essa notícia. Descobri o ótimo Guerrilheiro do Entardecer quando pesquisava sobre as mentiras da imprensa acerca do tripé econômico do FHC. O Guerrilheiro destruiu esse engodo com o post definitivo sobre o assunto. Nesse dia eu fiz a inscrição em seu rss e até hoje acompanho suas notícias.
Pois bem, o post já é bem condensado e informativo, por isso (e pela fidelidade ao movimento Cansei), irei apenas reproduzir seu texto:

Impulsionadas pelos investimentos em infraestrutura, as vendas de máquinas rodoviárias, utilizadas na construção civil, cresceram 116% no primeiro trimestre deste ano na comparação com o mesmo período de 2009, segundo dados da Abimaq.

Em relação ao primeiro trimestre de 2008, considerado o melhor ano da história pelo segmento, o crescimento é de 77%.

No total, o setor vendeu 4,6 mil máquinas no período, ante 2,1 mil do primeiro trimestre de 2009. As exportações também apresentaram recuperação, com crescimento de 77,4% no mesmo intervalo.

Com isso, a produção dos equipamentos no Brasil deu um salto de 244% de janeiro a março deste ano.

Outro detalhe do balanço das vendas de máquinas para construção é a queda de 20,5% das importações. O movimento é explicado em grande parte pelas condições favoráveis do Programa de Sustentação do Investimento (PSI) do BNDES, que exige mais de 60% de nacionalização dos intens que compõem os equipamentos.

Não negritei nada que considero mais importante porque, se assim o fizesse, negritaria tudo. Logo, preferi economizar energias e tomar minha Perrier em paz!


abril 23, 2010 Posted by | Sem categoria | , , , , , , , , , | 2 Comentários

FHC é minha anta!

Saiu no Josias com o seguinte título:

FHC e o mito Lula: ‘Pelé também era. E veio Ronaldo’

Ótimo! 

FHC elevou Ronaldo (não dá nem para saber se o fenômeno ou o Ronaldinho) ao nível do Pelé! Ele entende de tudo!

Se ele quis comparar, nós do blog aceitamos exatamente como ele disse: Pelé é o Lula, e José Serra é o Ronaldo (qualquer que seja esse Ronaldo, até mesmo o Cristiano!).

Ainda fomos brindados com outra pérola do príncipe dos sociólogos da USP: “Acha que Lula é a cara do brasileiro?” Ele responde: “De um certo tipo de brasileiro sim.” Em seguida alfinetou: “Mas ele tem um lado macunaímico forçado demais.

FHC prefere o brasileiro que só come brioche (mesmo sem falta de pão), anda de Ferrari e só sabe falar quatro línguas: francês, inglês, alemão e latim (só essas quatro mesmo).

E essa “identidade” com o povo deve ter sido inspiradora! Suas marcas são tão profundas que até hoje seus fãs carregam o ranço da mediocridade, do copo sempre meio vazio. Por isso que a Míriam Leitão (a que teve o filho bastardo de FHC é a Dutra, não a Leitão) hoje decide mostrar que o sol nasce para todos, sim, mas só para queimar todos. Veja como:

Mercado eleva projeções para inflação e taxa de juros

 

Pela 13ª semana consecutiva, o mercado elevou a projeção para o IPCA, a inflação oficial do país que, agora, poderá fechar o ano em 5,32%, acima da meta prevista pelo governo (4,5%). De acordo com o último Boletim Focus, divulgado hoje pelo Banco Central, há uma semana, a previsão era encerrar 2010 com índice de 5,29%. A expectativa para 2011 se manteve em 4,80%.

 

Ou seja, um aumento de 0,03% é motivo para fazer parte do título. E por que um aumento de 0,10% na previsão industrial (3,3 vezes maior) não merece o mesmo destaque? Ou melhor, por que um aumento de 0,21% no PIB (7 vezes maior) não merece o mesmo destaque?

Pois só perdida no fim da notícia vem o importante (pelo menos ela esconde onde todos possam ver):
Os números envolvendo a produção industrial estão mais otimistas. Para este ano, o crescimento deve ficar em 9,41%. Há uma semana, a projeção do mercado apontava alta de 9,31%. E para o ano que vem, a previsão se manteve em 5%, de acordo com o relatório do Banco Central.

Também foram revisadas para cimas as projeções para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país), que passaram de 5,60% para 5,81% em 2010. Para o próximo ano, a previsão é de alta de 4,50%

Vale lembrar que o PIG chama de meta de inflação o que na verdade representa o centro da meta, que é para 2010 é de 4,5%. A meta real varia entre 2,5% e 6,5%.
Isso dá saudade mesmo de FHC, quando a inflação era bem maior do que a do governo Lula, quando o PIB crescia bem menos do que no governo Lula, quando as taxas de juros eram bem maiores do que no governo Lula e quando o Ronaldo era bem melhor do que o Pelé!

abril 19, 2010 Posted by | Sem categoria | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Que maravilha!

Quem acessa o nosso blog tem, em primeira mão, um resumo do conteúdo do panfleto de propaganda eleitoral de José Serra, a última edição da revista Óia. Assim, você pode economizar R$ 9,90 e comprar desodorante se você é mais um da massa fedida.
Em resumo, a cartilha ensina que, para José Serra, o país pós-Lula passa por:
  1. Extinção do bolsa-família;
  2. Fim do Prouni;
  3. Qualquer ato público será tratado como fanfarronice eleitoral;
  4. Retorno à submissão total, irrestrita e irresoluta ao poderio dos EUA;
  5. As obras triplicarão no país! Sim, fará, refará e reerguerá, ou seja, cada obra será refeita 3x!

Pronto, você já sabe tudo o que saiu na Óia desse fim de semana.

Ah, a Óia também cita uma nova pesquisa da Datafolha que coloca o Serra com 112% das intenções de voto, o que lhe daria vitória e hosana nas alturas quando do registro da sua candidatura, além de 8.314 vagas na câmara dos deputados e do senado pelos próximos 18 lustros.
Vale a pena para colecionadores!

abril 17, 2010 Posted by | Sem categoria | , , , , , , | 2 Comentários

Sejam bem vindos!

Sejam bem-vindos.

Esse espaço foi criado para servir como um contraponto à informação oferecida pela grande imprensa brasileira.
Sua contribuição será sempre de grande valor, desde que não tenha qualquer conteúdo racista.
Grande abraço e viva a Internet.

abril 2, 2010 Posted by | Variedades, Vídeos | , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário