Blog da Coroa

O outro lado do Cara!

Não adiantou o ódio do PIG sobre o Enem

O Globo sempre preocupado com a educação brasileira

Do site do Correio Braziliense: Levantamento preliminar indica que apenas 200 estudantes teriam que refazer Enem

Agência Brasil

Até o momento, o Ministério da Educação (MEC) calcula que cerca de 200 estudantes deverão refazer as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) por causa dos erros de impressão nos cadernos de prova amarelos. Os dados foram apresentados pelo ministro Fernando Haddad ao presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Augusto Chagas, e da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), Yann Evanovick, em audiência na tarde da última quinta-feira (11/11).

As entidades defendem, entretanto, que todos os alunos que tenham se sentido prejudicados pelos erros na aplicação do Enem tenham a chance de fazer as provas novamente em caráter opcional. Segundo Chagas, essa possibilidade foi descartada pelo ministro, porque poderia atrasar o calendário das 83 instituições de ensino superior que usam a nota da prova como critério de seleção.

No último sábado (6/11), primeiro dia de aplicação do Enem, 21 mil cadernos de prova amarelos apresentaram erro de montagem e não continham todas as 90 questões. O MEC acredita que a maioria dos candidatos conseguiu trocar o material e fez a avaliação sem dificuldades.

Outro problema ocorreu na folha em que os estudantes marcam as respostas das questões, que estava com o cabeçalho das duas provas trocado. O exame teve 90 questões, sendo a primeira metade de ciências humanas e o restante, de ciências da natureza. Mas, na folha de marcação, as questões de 1 a 45 eram identificadas como de ciências da natureza e as de 46 a 90, como de ciências humanas.

Em função desses erros, a Justiça Federal no Ceará determinou a suspensão do Enem. A UNE não quer que o exame seja anulado, já que mais de 3 milhões teriam feito a prova com tranquilidade. As entidades criaram uma central para receber as reclamações dos estudantes, que já recebeu mais de 1,1 mil contatos. UNE e Ubes querem discutir junto com o MEC quais serão os critérios usados para definir quem terá direito a refazer o exame.

“Não é o suficiente [reaplicar o Enem] apenas para os que receberam a prova amarela errada. Na nossa opinião, o problema do gabarito gerou outros problemas e é por isso que nós queremos negociar com o MEC quais serão os critérios usados para oferecer essa nova prova aos estudantes.” Segundo ele, até que isso seja determinado, a UNE continuará defendendo um Enem opcional para todos os que foram prejudicados.

novembro 12, 2010 - Posted by | Educação

4 Comentários »

  1. Acho que o pig tem que começar a entender que seu poder de convencimento nao e o mesmo mais, esse pig cancerigeno tem que começar a entender que agora existe contra ponto em cima de suas armaçoes e mentiras.Alias esta midia vagabunda nao aprende mesmo,sera nescessario que ela seja atingina no bolso para que volte para o seu devido lugar.e me parece que alguns mauricinhos dos estudantes nao representam realmente todos os estudantes brasileiros.

    Comentário por Wilson Garcia | novembro 15, 2010 | Responder

  2. O problema é que, ao contrario do que afirma o MEC, os estudantes que trocaram de prova foram sim prejudicados, eu duvido que a troca tenha sido efetuada imediatamente ou que tenha sido permitido a estes permanecer após o tempo de término da prova, e é impossível estimar quanto a falta de tempo os pode ter prejudicado. Além disso, mesmo que sejam poucos, alguns estudantes não puderam trocar de prova (meu cunhado foi um deles) e foram prejudicados.

    A verdade é que a quantidade exata não importa. Infelizmente provas terão de ser refeitas e serão diferentes, podendo assim, ser mais fáceis ou mais difíceis, em datas diferentes, dando a quem foi prejudicado mais tempo de estudo. O concurso será portanto injusto por natureza.

    Cuidado para não ser um militante tão radical que cai nos mesmos erros do “PIG”. Gostaria de ouvir seus argumentos para a manutenção do Enem.

    Comentário por Luiz Mene\zes | novembro 16, 2010 | Responder

    • Leia sobre a Teoria da resposta ao item e veja que dá para fazer outra prova com o mesmo nível para as pessoas que foram prejudicadas.

      Aliás, para facilitar para você, já que o seu amado PIG não o faz, veja um simplório link sobre o assunto:

      http://pt.wikipedia.org/wiki/Teoria_da_Resposta_ao_Item

      Nenhuma discussão sobre o Enem ser anulado será válida se não se considerar a TRI. Como vc sequer arranhou o assunto (e nem o PIG), logo a argumentação de vocês é igualmente irrelevante e simplória.

      Aliás, sobre a quantidade, essa importa sim. 200 problemas em 3,3 milhões de provas sequer pode ser considerada uma mácula ao sucesso do exame.

      Comentário por Blog da Coroa | novembro 16, 2010 | Responder

      • Muito interessante essa teoria, porém posso identificar o seguinte problema:
        TRI ainda é uma teoria, e, portanto, não é prova. Existem diversos modelo estatístico seguindo essa teoria, alguns abordam a multidimensionalidade da habilidade e conhecimento, enquanto outros são unilaterais. Meu conhecimento sobre estatística não passa de estatística e probabilidade 1 na faculdade, eu admito, mas posso dizer que independente do modelo utilizado existirá um erro que representará entre outros a impossibilidade de se equivaler as dificuldades entre as provas pela sua subjetividade, condição necessária para qualquer um dos modelos.

        No entanto, eu concordo que talvez seja uma aproximação que tenha que bastar, de fato refazer o enem por completo representa um custo que a sociedade não vai poder arcar, porém devemos passar longe de chama-lo de sucesso. Ele apresentou falhas básicas, com agravante de ser o segundo ano consecutivo.

        Por favor não tenha a pretensão de me conhecer. Essa atitude de “ou estão conosco ou estão contra” é muito imatura. Eu não apoio a grande mídia, leio minhas notícias de diversas fontes pela internet, consultando opiniões diversas em diversos sites e blogs, como o seu. Votei na Dilma para presidente, antes dela no Lula, ambas as eleições, apoio seu governo e a maioria das suas decisões, mas sei reconhecer um problema. A minha opinião é minha e espero no mínimo respeito de quem não me conhece. Se você quiser continuar esta discussão sem o tom de deboche, sou todo ouvidos, vou ler mais sobre o TRI para poder ter argumentos mais informados.

        Comentário por Luiz Menezes | novembro 18, 2010


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: