Blog da Coroa

O outro lado do Cara!

OAB de Pernambuco processará tuiteira preconceituosa

Pouco bonitinha, mas muito ordinária.

A OAB-PE (Ordem dos Advogados do Brasil de Pernambuco) vai entrar com uma ação nesta quinta-feira (4) contra uma usuária do Twitter Mayara Petruso, que ganhou fama na internet após publicar comentários ofensivos contra o povo nordestino. Após a vitória de Dilma Rousseff nas eleições presidenciais, a jovem postou “Nordestisto [sic] não é gente. Faça um favor a SP: mate um nordestino afogado”.

De acordo com Henrique Mariano, presidente da OAB-PE, a entidade está concluindo a reunião de provas contra a jovem que, ainda segundo a OAB, é paulistana e estudante de direito. Ela responderá pelos crimes de racismo e incitação pública de ato delituoso — no caso, homicídio. O processo será entregue ao Ministério Público Federal. O crime de racismo, além de inafiançável, tem pena que varia entre dois e cinco anos de cadeia. Já o de incitação pública a delito varia de três a seis meses de detenção.

Caso a estudante faça estágio na área de Direito e tenha registro na OAB-SP, a OAB-PE entrará com um processo administrativo para cassar sua licença. “Como uma acadêmica de Direito promove um ato tão degradante?” questionou o presidente da OAB-PE.

Henrique Mariano afirma que a ação tem como base uma reportagem de “O Diário de Pernambuco”. No texto divulgado na segunda-feira (1), a publicação relata como os usuários brasileiros do microblog trocaram provocações após @mayarapetruso (o perfil já foi deletado) ter manifestado com a frase preconceituosa sua insatisfação com a vitória de Dilma.

Os tuiteiros reagiram e criaram a campanha #Orgulhodesernordestino, que ficou entre os termos postados no Twitter em todo o mundo, segundo os “Trend Topics” do microblog. Também ganhou destaque o site Xenofobianao, com imagens de tuítes dos internautas que fazem críticas ao nordeste e nordestinos. Também no fórum de UOL Jogos, os usuários debatem o tema e destacam mensagens de preconceito na web.

Diante da reação em massa, a jovem escreveu no início da semana um pedido de desculpas em sua página no Orkut: “minhas sinceras desculpas ao post colocado no ar, o que era algo para atingir outro foco, acabou saindo fora de controle. Não tenho problemas com essas pessoas, pelo contrário. Errar é humano. Desculpas mais uma vez”. Nesta quarta (3), o texto já não é mais exibido; aparentemente, sua página foi invadida e o conteúdo, trocado.

novembro 3, 2010 - Posted by | Cultura, Eleição | , , , ,

4 Comentários »

  1. […] Essa Soninha é uma figura! Tonta, idiota e caluniadora, tudo em uma mesma pessoa! Ela deve ser a melhor amiga da Mayara Petruso… […]

    Pingback por Que coincidência! « Blog da Coroa | novembro 3, 2010 | Responder

  2. Mayara Petruso no Twitter : Ministério Público Federal investiga denúncia de racismo: http://t.co/ePEz52N

    Comentário por bertagna | novembro 4, 2010 | Responder

  3. Sem querer entrar no mérito da lamentável atitude da estudante, por ter colocado sua opinião contrária ao nordestino (como poderia ser um negro, homossexual, lésbica, chinês, coreano, índio, etc.) há que tecer algumas considerações no que implica sua posição.
    Porém, antes de mais nada, HÁ QUE ESTRANHAR A ATITUDE DA OAB, formada por doutos senhores, de desconhecer à estudante o seu DIREITO DE OPINIÃO preconizado na Constituição Federal.
    Aqui não entro no mérito de estar certa ou errada!

    Primeiro, há que ter em mãos o dicionário de português que é o lastro da nossa língua e que determina o significado do que escrevemos e que falamos.
    PRECONCEITO (pré-conceito) é um conceito, opinião, pensamento mal formulado, sujeito à reformulação pelo melhor entendimento. Evolui para o CONCEITO, sendo esse um modo de pensar, uma opinião sólida e embasada em elementos de CONVICÇÃO, convicção essa que desenvolvemos a partir dos primeiros aprendizados da infância, oriundos da educação familiar, religiosa, que incultem no indivíduo em formação as regras de procedimento social, moral e religioso, com a condenação do que se apresenta contrário a esse entendimento adquirido.

    Isto posto, é lícito à estudante e a quaisquer outros, desenvolverem pré-conceitos que evoluirão ou não para CONCEITOS sólidos e embasados pela sua vivência e conhecimentos adquiridos, desde que tal CONCEITO não cause danos morais ou materiais a terceiros.
    No entanto, para que seja configurado o dano a terceiro e portanto entendido como um crime, o CONCEITO tem que estar PERSONALIZADO, ou seja, DIRIGIDO A ALGUMA PESSOA EM PARTICULAR (você, tú, ele, ela) e não abstratamente a um conjunto dessas (nordestinos, índios, chineses, negros)como foi o caso da estudante.
    No mais, NINGUÉM PODE ser obrigado a gostar de negro, branco, índio, chinês, mulher, homem, homessexual, como também não poderá ser obrigado a gostar de giló, chuchu, laranja, melancia, jaca, abacaxi, e ainda a acreditar ou deixar de acreditar em DEUS ou no DIABO. O que não pode é ZOMBAR OU OFENDER uma determinada pessoa (o tu, o você)particularizada, sem que esteja causando constrangimento ou injúria, o que é crime tipificado no código penal. Nesse caso, estaria RESVALANDO PARA A DISCRIMINAÇÃO, que é coisa ilegal e completamente diferente do preconceito ou do cocnceito formado, que é um direito constitucional, ou seja, o direito de opinião, o direito à MANIFESTAÇÃO DO PENSAMENTO ou seja, do que a pessoa pensa em relação a determinadas coisas, fatos, situações coletivas, globais e de comportamento de pessoas como grupo.
    Vejam para isso os direitos insertos no artigo 5º, incisos IV, VI, VIII, IX, das liberdades individuais, que respondem às atitudes da estudante em tela, COMO ESTANDO DENTRO DO SEU DIREITO DE OPINIÃO, e que resolveu expressá-la (inciso IX) na NET.
    O que não poderia é DISCRIMINAR, DISTINGUIR, DIFERENCIAR um tratamento dado aos nordestinos, privando-os de direitos de frequentar, comprar, usar, vender, divertir, etc., enquanto propiciasse esses mesmo direitos a outros não nordestinos. E ESSE PODER SÓ TERIA SE DISPUSESSE DE MEIOS PARA FAZE-LO, ou seja, se fosse dona de bar, lanchonete, cicnema, supermercado e lojas, ou agente do poder público com poder de discriminar.

    Por tudo isso, me estranha a ignorância dos dirigentes da OAB na interpretação da lei, sem que tenham na mão um dicionário que lhes mostre o significado das palavras PRECONCEITO, CONCEITO, DISCRIMINAÇÃO, que não estão todas na mesma panela. E como o Português é nosso idioma oficial, convém sabê-lo.

    Em tempo: o único deslize da estudante foi a incitação à violência, pelo “afogar um nordestino”,o que pode ter sido apenas um sentido figurado. NADA PARA O AJUIZAMENTO DE UMA AÇÃO, pois sua opinião NÃO FOI PARTICULARIZADA A UM INDIVÍDUO, de tal forma que esse se sentisse ofendido ou injuriado.

    Comentário por JJLABORET | novembro 4, 2010 | Responder

  4. coitada dessa maiara, não conhece nada sobre a cultura nordestina. Por exemplo vc sabe pelo menos os grandes poetas e escritores do país ? claro que são nordestinos. Vc sabe quem são os grandes cantores da mpb? são nordestinos . Portanto , procure ler mais e deixa de ser preconceituosa

    Comentário por jose silva junior | novembro 21, 2010 | Responder


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: