Blog da Coroa

O outro lado do Cara!

Esse é o meu ídolo!

Só preciso de duas imagens:

Governo para os pobres

Governo para os pobres

Governo com os pobres

Governo com os pobres

agosto 21, 2010 Posted by | Uncategorized | , , , , , , | 1 comentário

Mais Reinaldo Azevedo

Mentira nem sempre é mentira. Às vezes trata-se de um erro cometido percebido por um espírito armado. Os parciais vêem mentiras dos inimigos e erros dos amigos. Já o Retardado Azevedo considera um erro de 2.600% uma besteirinha que nem merece comentário e um erro de 0,9% uma “lambança eleitoral” (Link).

Esse erro de 2.600% é a pequena diferença entre o que o Serra disse (5.000% ao ano) que era a inflação antes do FHC e a inflação máxima que o país atingiu, em 1993 (2.477%). Para ser rigoroso mesmo, a inflação no ano anterior ao FHC foi de 916%, o que daria uma discrepância de meros 4.100%. Mas vamos ser lenientes com eles.

Pois bem, o Retardado nem citou esse pequeno deslize do Serra, mas ele sabe que ele existiu. Tanto é que hoje citou um número que, apesar de também errado, é bem menor do que o que seu chefe disse. Ele falou: “em 1993, a inflação havia chegado a mais de 2.700% aos ano” (Link). Bom, o Ipeadata fala que chegou a 2.477 em 1993. Acreditaremos em quem?

Aliás, ele também soltou mais uma:

“No primeiro ano do Plano Real, a que o PT se opôs, foi de 1,8%.”

Pois é, o Ipeadata fala em 22,41% em 95. Se formos rigorosos e colocarmos o primeiro ano mesmo de Real (jul/94 a jun/95), aí o valor vai ser beeem mais alto.

E ele ainda soltou a maior mentira de todas depois, e ainda acusou os que dizem a verdade de serem vigaristas! Pode? É, ele pode:

“O  Real, sim, foi o grande golpe dado na pobreza no Brasil — coisa que os vigaristas e mistificadores de agora não reconhecem. E só isso seria o bastante para desqualificar a tal “nova era lulista”.”

Bom, essa é A mentira, e eu já mostrei aqui. Olha só o gráfico da evolução de renda dos 50% mais pobres desde o plano Real:

Estagnação no FHC, crescimento com o Lula

Estagnação no FHC, crescimento com o Lula

E ele chama esse post dele de um “Texto de formação”. É sim um texto de formação, mas com um trans na frente, pois é um texto de transformação de mentiras em verdades.

Ah, ele adora fazer esses textos de (trans)formação. Só uma pesquisa básica no Google mostra que ele fez essas vigarices 46 vezes! (Link da pesquisa)

É um safado formando safadezas.

agosto 12, 2010 Posted by | Uncategorized | , , , , , , | Deixe um comentário

Brasil pode mais: País caminha para índice inédito de emprego formal

Do portal Terra: País caminha para índice inédito de emprego formal

Por Ana Cláudia Barros

O Brasil criou cerca de 1,5 milhão de empregos formais nos primeiros seis meses de 2010. A estimativa é do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, que divulga, nesta quinta-feira (15), em Brasília, os números relativos a junho do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Na análise do presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Márcio Pochmann, o desempenho do primeiro semestre, considerado histórico, sinaliza, em primeiro lugar, que o País conseguiu sair mais forte da crise financeira internacional, que atingiu o mundo entre 2008 e 2009.

- Em segundo lugar, significa que os empregos estão não apenas sendo impulsionados pela capacidade instalada, que havia sido reduzida em função da crise. Mais do que isso: vêm sendo puxados pelos novos investimentos.

Sobre as projeções do ministro Lupi, que espera fechar 2010 com com 2,5 milhões de contratações com carteira assinada, Pochmann considera a estimativa factível.

- Nós trabalhamos na passagem do ano passado para este, com o número de 2 milhões, mas a expectativa de crescimento da economia nacional não era como está agora. Portanto, dada a evolução até o momento, esse novo ritmo, é bastante provável que nós tenhamos um universo de empregos gerados acima de 2 milhões, aproximando-se dos 2,5 milhões.

Mais do que expressivo, segundo o economista, o número é inédito na história do Brasil. Na prática, significa dizer que, a cada dez postos de trabalhos gerados, nove já são formais, conforme explica o presidente do Ipea.

- Desde a introdução da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) que não havia se registrado experiência como essa. Isso acontece depois de toda a avalanche de argumentos, nos anos 90, de que o Brasil não geraria empregos com carteira assinada porque a CLT estava ultrapassada e impossibilitava isso.

Acréscimo do Hermes:

Para ficar mais clara a diferença entre Lula e FHC, peguei os dados do Ipeadata sobre o saldo de empregos. O gráfico* é assustador! Vejam só:

Ou seja, o Lula criou 10.216.341 empregos até aqui. Mais de 10 milhões de empregos em 7 anos!

O FHC demoraria 22 ANOS E 11 MESES para fazer o que o Lula fez em 7 ANOS E 6 MESES!

Uma baile!

* Os dados foram extraídos do Ipeadata. A série se inicia em maio de 1999. Aliás, essa estratégia do FHC de começar séries de emprego em maio já foi objeto de um outro post meu (Lanço aqui uma suspeita sobre o governo FHC). Os dados só vão até março de 2010. De abril a maio usei os valores do Correio Braziliense de hoje, bem como o valor de junho, que é uma estimativa. Esses últimos valores só apresentam os milhares.

O link da planilha que montei: Empregos criados Lula e FHC

julho 15, 2010 Posted by | Emprego | , , , , , , | 4 Comentários

O IPEA atua para o Serra!

Inacreditável! Impossível! Um absurdo!

Estudo do IPEA

Como o IPEA faz um estudo sobre a miséria e coloca como comparações apenas os valores de 95 e 2008? E o que aconteceu nesse período? Ninguém vai mostrar? Ninguém? Será que eu terei que mostrar? Meu Deus! Cadê a imprensa responsável?

O absurdo foi colocar o Lula e o FHC no mesmo saco, e isso é um crime. Vamos começar pelo Índice Gini, que o IPEA afirmou que caiu de 0,6 para 0,54 de 95 a 2008. Bom, apesar de ser verdade, serve de fundamento para uma desinformação que cai como uma luva para a campanha de Serra, como o título da matéria no “O Globo”:

Governos FH e Lula tiraram 12,1 milhões da miséria

Voltemos ao Gini. O gráfico da evolução do indicador no período analisado é o seguinte*:

Viram quem foi o maior responsável pela queda? Para ficar ainda mais claro, vou colocar mais uma figura em base 100, que é a forma mais adequada de se comparar o mesmo indicador em períodos distintos:

Ou seja, FHC só reduziu o Gini em 2,24% em 8 anos, enquanto Lula diminuiu o mesmo indicador em 6,94%, e isso em apenas 6 anos!

Sobre o quantitativo de pessoas que saíram da miséria, eu não consegui achar esses valores no Ipeadata, mas achei outros bem semelhantes:

Agora os mesmos dados de cima em base100, para comparar FHC-Serra com Lula-Dilma:

 

Aqui a renda média mensal dos 5 décimos mais pobres da população. Se der tempo, eu faço os base100 deles essa noite:

Ou seja, o Lula foi infinitamente superior em todos os aspectos no combate à pobreza. E isso que ainda faltam os dados de 2009 e 2010! O Lula-Dilma vai dar mais show ainda no FHC-Serra.

É por isso que a internet fará o país virar uma potência, pois com ela essa desinformação que tentar nos levar ao retrocesso é exposta. Para frente, Brasil!

* 1991, 1994 e 2000 não apresentam dados. Por isso, utilizei a média entre o ano anterior e o posterior.

Todos os dados tem como origem o site do Ipeadata (Link)

julho 14, 2010 Posted by | Uncategorized | , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Economia básica para aviceados

Herança maldita de FHC-Serra vs. Aumento consistente de Lula-Dilma

Herança maldita de FHC-Serra vs. Aumento consistente de Lula-Dilma

Nada como um bom neologismo para falar sobre a última do Zé Ladeira Abaixo (como diria o PHA).

Dentro de sua análise bem peculiar sobre o resultado do PIB sino-brasileiro do primeiro trimestre de 2010, ele teve a cara de pau de criticar a queda no investimento agregado, em mais um exercício de desinformação, estratégia que denunciei AQUI.

Bom, o gráfico do início do post (do Correio Braziliense) mostra claramente quem causou a verdadeira queda do investimento no país. Sim, foi o governo FHC-Serra. A coisa foi tão grave que derrubou a credibilidade do Brasil, e com isso demoramos um ano para recomeçarmos o crescimento, mesmo tendo como presidente O Cara. E no ritmo em que estamos, só retornaremos ao patamar de 2000 lá pela segunda metade do pimeiro mandato da Dilma, e ainda assim estaremos longe do resultado de 1994 de Itamar.

Ou seja, o mal que o PSDB-DEM fizeram é que atravancam o progresso do país.

Só para ficar ainda mais explícito o assassinato de investimentos do FHC-Serra e a recuperação promovida por Lula-Dilma, vejam o gráfico da média de investimento anual desde 1991:

Investimentos FHC-Serra vs. Lula-Dilma

Investimentos FHC-Serra vs. Lula-Dilma

Olha lá, a dupla infernal pegou o poder com 21,5% de investimento e entregou com apenas 16,4%. O Lula patinou no começo por causa da baixa credibilidade do país, mas depois retomou o ritmo de crescimento, até dar uma travada graças à crise mundial e agora retomou com força total.

Volto a repetir aqui: nosso maior problema não foi a crise mundial, nosso maior problema foram os dois governos FHC-Serra entre o Itamar e o Lula.

junho 9, 2010 Posted by | Economia | , , , , , , , , , , | 2 Comentários

Imprensa faz ouvidos moucos

Isso eu não quero ouvir!

A notícia do estupendo superávit primário no primeiro trimestre e em abril de 2010 foi até noticiada. Mas será que alguém leu e absorveu seus dados?

Digo isso porque o último parágrafo da reportagem do Correio Braziliense de hoje diz o seguinte:

“O setor público acumulou um superavit primário de R$ 36,6 bilhões nos quatro primeiros meses do ano. Como o desembolso de juros somou R$ 59,4 bilhões, o deficit nominal chegou a R$ 22,8 bilhões.”

Fica até difícil entender a profundidade do texto. Isso porque ele gera uma contradição tão grande com o que vemos que é melhor ignorar e passar adiante do que enfrentar a questão.

A contradição é a seguinte:

a) toda a imprensa fala em “xxx fiscal”, sendo xxx qualquer termos entre laxismo, farra, descontrole, afrouxamento, festa, pacote de bondades etc. Além disso, critica-se o aumento de despesas correntes vinculadas, como vencimentos das carreiras públicas.

b) no entanto, a mesma imprensa mostra que “O setor público acumulou um superavit primário de R$ 36,6 bilhões nos quatro primeiros meses do ano“.

Mas como isso é possível? Qual a lógica de se atribuir uma “farra fiscal” a uma situação de superávit?

Isso nos leva à conclusão de que a imprensa se preocupa apenas em parte, sem considerar o “desembolso de juros [, que] somou R$ 59,4 bilhões“.

Vai ver eles se confundem nos gráficos

 

Quanta coisa!

 

maio 28, 2010 Posted by | Economia | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Data-da-Folha, nós não esqueceremos jamais!

 
Como explicar esse formato de peixe?
Como explicar esse formato de peixe?

  

A Sensus e a Vox Populi já haviam adiantado esse resultado. Aliás, elas foram coerentes com os acontecimentos, ao contrário do Datafolha e do Ibope, que insistiam em esconder o óbvio. 

Ou seja, quem acompanha os meios de combate à desinformação já sabia dessa tendência. 

Já os nossos “jornalistas”  foram pegos de surpresa. O querido Fernando Rodrigues foi acertado na nuca, e acha que é coisa do pessoal do Pânico mandando um “pedala Robinho”.

Aliás, já havia falado dele aqui, no post Mau-caratismo por completo ou inteligência pela metade? Depois dessa pesquisa, ele tenta explicar o inexplicável no post com o singelo título Análise: TV e Lula alavancam Dilma 

Do texto, conclui-se que bastou o Lula ficar 10 minutos na TV dizendo que apóia a Dilma para que ela tirasse 12% de vantagem do Serra! Imagina quando ele ficar um mês todo dia na TV falando isso?

Fora isso, fala que o Serra só estava perdendo pontos porque chovia em São Paulo. Que ainda “titubeava” em anunciar que seria candidato. Que a Dilma era ovacionada pelo país em encontros. Até admite uma irregularidade (…zinha, pois aos amigos, tudo! Aos inimigos, os rigores da lei, como diria Kayden Kross ao se defrontar com sua maior inimiga, Krystal Steal), ao atribuir o aumento de Serra a propagandas de estatais paulistas! 

“O governo de São Paulo inaugurou várias obras (o Rodoanel, por exemplo,  e muitas propagandas estatais paulistas foram parar na TV.”

Para não variar, ele (e toda a grande imprensa) não citaram o mais importante: os outros institutos já haviam apontado para esse resultado. Resultado esse que apenas corroborou a tendência já antecipada por aqueles mesmos institutos. Neles, o gráfico é a ponta de uma flecha: 

Sensus

 Vox Populi 

Ou seja, o erro é da Datafolha! 

Ou melhor, o acerto! 

Acerto da (e do) Datafolha

Acerto, pois a pesquisa é apenas uma tentativa de mostrar ao Aécio Neves que ele “precisa” ser o vice de Serra. Eles estão tentando maturar essa composição há algum tempo, e aumentaram a pressão nos últimos dias: 

20/5/2010 – Militância de MG quer chapa Serra-Aécio, diz tucano 

Essa tentativa é fruto de uma sinalização do mineiro em fevereiro: 

5/2/2010 – Aécio espera pesquisas de abril para definir se aceita ser vice de Serra 

Mas, como conhecemos os mineiros, eu acho que essa é uma estratégia perigosíssima! Acho que o Aécio está dando corda para o Serra se enforcar, pois com isso o Chirico ia virar um coitado derrotado sem força e projeção, enquanto o mineiro iria despontar como a terceira via em um futuro que já não está distante, exercendo seu papel como senador muito bem quisto pelo seu eleitorado. Ele representaria a via moderada, pois já percebeu que a oposição está se esfacelando devido ao seu discurso unicamente terrorista avalizado por uma imprensa com a credibilidade decrescente. 

Em resumo, o Aécio tem duas opções (e ele sabe bem disso): ou ser vice agora do Serra com grande possibilidade de perder e ficar sem mandato, ou ser senador e ver o líder da oposição definhar até o ocaso completo, enquanto ele cresceria em importância e aceitação. 

Sendo vice, restaria a insignificância que o cargo importa. Qual será a escolha de Sofia? Lembre-se, Aécio, que você seria a Medéia do Jasão tucano. Pense em seus filhos!

Medéia

maio 22, 2010 Posted by | Política | , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

O comparativo definitivo FHC-Serra vs. Lula-Dilma

Vou mostrar aqui o porquê de o governo Lula ter feito tanto sucesso na economia enquanto o FHC comia ou vendia nossas riquezas:


Para começar, as taxas de juros praticadas no governo Lula foram muito inferiores que as do FHC.

Isso diminuiu o custo da dívida, e com isso o Brasil do Lula passou a manter estável a dívida pública líquida, ao contrário do que fez o FHC:

Com essa economia ele comprou mais dólares para compor suas reservas internacionais, que eram medíocres com o FHC:

Essas reservas nos fizeram ser credores internacionais, e o Lula entregará uma dívida externa negativa, ao contrário do FHC, que a aumentou em 78%:

Toda essa soberba econômica do Lula levou a um crescimento real do PIB (que é o PIB per capita) bem maior que o do FHC, tanto em dólares como em reais:

E antes que algum alienado pela Veja venha falando que isso é por causa dos fatores externos, pois o mundo estava com uma liquidez imensa, o que não acontecia com o FHC, toma então na cara:

Toma na cara

O Brasil realmente se aproveitou do bom momento da economia mundial para alavancar seu crescimento.

Mas isso não faz do FHC um presidente igual ao Lula, pois com o FHC o Brasil cresceu menos que o Mundo e com o Lula cresceu mais, como dá para ver no post do blog acima e no vídeo a seguir:

Isso causou um crescente otimismo em relação ao Brasil (Link com as boas notícias sobre o Brasil), o q por sua vez importou uma enxurrada de dólares no país, causando o derretimento do dólar (que antes era ótimo para a sua bíblia, a Veja: Veja adorava o real forte, mas agora é época de eleições, então é bom criticar!)

Esse derretimento do dólar causou um problema, que é a queda no saldo comercial, mas ainda assim o saldo do Lula dá um banho no do FHC (que, aliás, foi negativo no total):

Esse baixo saldo na balança comercial criou o déficit em transações correntes (o que é ruim por um lado), mas esse ainda assim é bem melhor com o Lula do que com o FHC (que derreteu quase 200 bilhões de dólares do Brasil):

Mas esse dólar fraco causa um bom efeito na inflação, que foi bem melhor com o Lula que com o merda do FHC:

Um dos motivos de todo esse sucesso foi a independência que o Lula respeitou do Banco Central,
ao contrário do FHC e do que pretende o Serra

Outro motivou foi a distribuição de renda, que causou um aumento da massa consumidora no país, graças ao aumento do salário mínimo real, bem melhor no Lula que no FHC:

Essa distribuição de renda gerou diminuição da desigualdade no Brasil, o que não ocorreu no FHC:


Isso teve como um de seus efeitos o aumento no consumo, como podemos ver no caso dos veículos:

Esses veículos e as outras compras são financiadas pelos bancos, que lucram com isso, o q explica seus ganhos crescentes. O lucro do BB foi altíssimo (assim como será o da Caixa) pois eles emprestaram durante a crise (medidas anticíclicas), e com isso no BB

“O crédito imobiliário cresceu 103,9%.“. Com isso a carteira de ativos dos bancos públicos cresceu e eles dominaram uma grande fatia do mercado, aumentando seus lucros.E isso é bom!

Aliás, como estamos falando de comparações, vai mais uma aí só para lembrar:

Ranking dos pilantras:

1 - DEM - 69
2 - PMDB - 66
3 - PSDB - 58
4 - PP - 26
5 - PTB - 24
6 - PDT - 23
7 - PR - 17
8 - PPS - 14
9 - PT - 10
10 - PV, PHS, Prona, PRP - 1

Bando de partido tucanalha! O PT, que é o mais criticado na mídia, é apenas o nono! 7x menos que o DEM, e quase 6x menos que o PSDB! E olha que o PT tem bem mais representatividade!


Além disso, achei esses cálculos em um fórum, onde o PT fica em oitavo:


Eu não achei a quantidade de eleitos por partido, mas fiz um cálculo por filiados que gerou mais um rankis de pilantras por filiados. Claro que os reaças vencem disparadamente:

Acho que alguém está enganando você…



maio 19, 2010 Posted by | Vídeos | , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 5 Comentários

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.